Revista Mandala

10 maneiras de trazer o mindfulness para a sua prática de yoga

Manter o foco no tapete tem sido cada vez mais difícil em tempos de conectividade instantânea e ininterrupta. Como resolver isso?

Compartilhar

Este artigo é uma tradução. Ele foi escrito originalmente por Karen Fabian e publicado no site DOYOUYOGA. Para ler o texto em inglês, clique aqui.

Eu tenho percebido cada vez mais, tanto na minha própria prática quanto nas classes, que manter o foco costuma ser muito difícil. Esse não é um problema novo; são muitos os desafios da mente. E no nosso mundo de alta tecnologia, onde estamos conectados o tempo todo, é ainda mais difícil prestar atenção ao tapete.

O clamor da tecnologia

O professor, escritor e cientista de meditação internacionalmente conhecido, Jon Kabat-Zinn, discutiu recentemente a relação entre atenção e meditação, dizendo que uma das primeiras coisas que fizeram em um de seus retiros foi pedir que os participantes deixassem de lado seus telefones celulares.

Anderson Cooper disse depois de algumas horas: “sinto falta do meu telefone!”. Nós sabemos como ele se sente. E não é só o clamor empreendido pelos nossos aparelhos tecnológicos que destrói nosso foco quando estamos sobre o tapete. Por isso, aqui estão 10 dicas para você lidar com essa situação.

1. Remova todas as distrações ao redor na hora da prática

Se você precisa mesmo estar com seu celular, ao menos cubra-o com um pano e coloque-o na parte de trás do seu tapete. Isso também inclui relógios e pertences pessoais. O local onde você vai fazer sua prática só deve conter seu tapete e os demais adereços necessários para essa atividade especificamente.

2. Assim que se situar no local da prática, comece a explorar sua experiência

Ajeite o espaço onde você vai realizar sua prática de yoga e sente-se para uma meditação silenciosa, ou simplesmente deite-se sobre o tapete com os olhos fechados. Embora seja ótimo praticar com amigos, ter companhia pode atrapalhar você no momento em que precisa estar mais focado.

3. Nos primeiros movimentos, perceba como você se sente

Isso não é para que você comece a julgar sua experiência ou para estabelecer metas irrealistas para si mesmo, mas simplesmente porque, assim, percebendo o processo, você pode aumentar a sua consciência.

4. Permita-se não criar expectativas

Tente se liberar de qualquer expectativa no momento em que começar a sua prática: ser mais flexível, perder peso ou até mesmo (ouso dizer) ser uma pessoa mais consciente. Não exija nada disso de si mesmo nesse momento, permita que a prática se desdobre como ela quiser, sem você ter qualquer objetivo particular ao realizá-la.

5. Resista ao desejo de competir com os outros

Isso pode ser difícil se os alunos ao seu redor praticarem variações avançadas das posturas de yoga mais conhecidas. Faça o seu melhor para ficar conectado ao que faz mais sentido para você em cada postura.

6. Procure ganchos na prática que ajudem a estar presente em vez de se distrair

Isso será de um jeito para cada pessoa. Eu tinha um estudante que se levantava e ia ao banheiro toda vez que eu pedia a postura do corvo. Era engraçado porque aconteceu repetidamente ao longo dos muitos meses que a solicitei para a classe.

Isso não quer dizer que você tem que fazer todas as posturas mesmo que elas machuquem, mas há maneiras de fazer com você se mantenha na prática em vez de procurar uma desculpa para deixar o tapete.

7. Esteja ciente daquilo que surge e cria frustração ou raiva

Nossa prática pode se revelar um gatilho para alguns sentimentos. Pode ser por causa da voz do professor, algo que ele ou ela traz, seu nível de habilidade para fazer uma postura particular ou a pessoa ao seu lado e o som da sua respiração.

Use essas situações como uma chance de brincar com os sentimentos de raiva e frustração, observando a forma como eles vêm e vão. Isso fará com que você aproveite sua própria experiência e sinta sua respiração.

8. Use seu olhar como uma força de aterramento para aumentar sua consciência

Nosso olhar ou ponto drishti nos ajuda a manter contato com nossa respiração e com a experiência em si, removendo distrações. Isso é mais difícil de fazer de acordo com que a classe vai ficando cada vez mais lotada, mas é uma ótima maneira de gerenciar qualquer frustração quando você chegar na aula e descobrir que está cheia de gente. Mantenha seu próprio tapete como ferramenta para ajudá-lo a ficar calmo e focado na prática.

9. Observe quando você precisa descansar ou trocar de postura

Assim como competir com os outros, forçar nosso corpo a determinadas posturas e ir além dos nossos limites físicos podem nos tirar da nossa própria experiência, o que nos afastará da consciência e de nós mesmos.

Mantenha-se conectado com sua respiração e observe quando precisar parar e fazer uma pausa. Em vez de ir ao banheiro ou beber água, fique na postura da criança e descanse de verdade.

10. Tire um tempo para a Savasana

Permita que seu corpo relaxe totalmente e deixe a mente fazer o que ela faz. Eu fico sempre impressionada com pessoas que saem da classe antes da postura de Savasana. Sei que ela tem sido assunto de muitos artigos, mas basta dizer que é o fim da prática que dá o tom para o que você sentirá ao finalizá-la.

Quando você entra em Savasana, claro que a ideia é relaxar fisicamente. Mas, assim como na meditação, se você achar sua mente vagando, deixe estar.

Como você fica atento, presente e consciente em sua prática de yoga?

Edmar Borges

Jornalista latino-americano sem dinheiro no banco nem parentes importantes, ilustrador vindo do interior de Minas Gerais. Acredita que um dia a tecnologia e a espiritualidade vão ter uma linda prole. Você também me encontra em omxxnamashivaya.tumblr.com

Comentar

Assine nossa news!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.