Revista Mandala

Como o alimento que você come altera os seus genes

Comida é informação e pode ser vista como um controle remoto para nossos genes, transformando-os por dentro e por fora.

Compartilhar

mdhEsse artigo é uma tradução. Ele foi escrito originalmente por Joel Kahn no site Mind Body Green. Para acessá-lo em inglês, consulte a postagem original aqui.

Nosso progresso na compreensão dos genes humanos tem sido surpreendente e humilhante. Cerca de 150 anos atrás, Gregor Mendel usou plantas de ervilha para estabelecer algumas regras de herança, e, há cerca de 50 anos, Watson e Crick descreveram a dupla hélice do DNA. Em 2003, todo o genoma humano foi sequenciado. Surpreendente!

O humilhante nesse processo foi que, quando o número de genes em células humanas foram contados e comparados com outros organismos, descobriu-se que o nosso genoma é consideravelmente menor do que o de muitas outras espécies. Os seres humanos, por exemplo, têm cerca de 25.000 genes em cada célula, enquanto a pequena pulga d’água tem mais de 30.000! Os cientistas tinham assumido que, devido às nossas capacidades avançadas e estrutura de órgãos, deveríamos ter mais de 100.000 genes.

dna-1811955_1280Embora não tenhamos muitos genes, os cientistas descobriram recentemente algumas maneiras de controlar o número já modesto que possuímos, em um novo e excitante campo chamado epigenética. Ele explica como mudanças na atividade gênica podem ocorrer sem alterar o nosso DNA original.

Uma maneira de influenciar os genes sem alterar sua estrutura básica está na alimentação. Pode ser que nossos genes carreguem a arma, mas nosso estilo de vida puxa o gatilho. O impacto da nutrição em nossos genes é conhecido como nutrigenômica.

pexels-photo-29682Em outras palavras: o garfo é tão poderoso que pode não apenas transportar alimentos à nossa boca, mas também ser usado como um interruptor genético com botão de liga/desliga que altera peso, pressão arterial, colesterol no sangue, desenvolvimento de câncer e até mesmo o envelhecimento.

Até agora, a maioria dos estudos mais legítimos de nutrigenômica foram realizados com um cardápio de baixo teor de gordura, à base de plantas, uma dieta chamada Ornish. Confira algumas dessas experiências surpreendentes:

1. Uma dieta baseada em plantas pode desativar os genes do câncer de próstata

O cardiologista Dr. Ornish alimentou 31 homens com câncer de próstata de baixo grau com uma dieta baseada em plantas contendo menos de 10% de calorias gordurosas. Os homens foram incentivados a caminhar, meditar e reunir-se em sessões de grupo. No final de apenas três meses, 48 genes essenciais para o crescimento do câncer estavam mais ativos, mas 453 genes (os que controlam o crescimento do tumor e a produção de proteína) estavam menos ativos na produção de proteínas. No geral, os exames de sangue para a atividade de câncer de próstata melhorou e tumores encolheram. Estas alterações epigenéticas causadas pela mudança do estilo de vida estavam proporcionando coisas incríveis para estes homens.

2. Uma dieta à base de vegetais retarda o envelhecimento

A partir do mesmo estudo mencionado acima, com o mesmo grupo, o Dr. Ornish mediu a atividade de uma enzima produzida pelos genes, a telomerase, que se acredita estar envolvida na desaceleração do processo de envelhecimento. Em cinco anos, a diminuição na atividade relativa ao envelhecimento da telomerase foi muito menor no grupo de baixo teor de gordura à base de plantas do que no grupo de controle, e seus telômeros eram mais longos, o que sugere ser positivo para a longevidade.

pexels-photo-1284023. Uma dieta baseada em plantas melhora a inflamação, peso e saúde vascular

Um recente grupo de pesquisa na Pensilvânia estudou 63 indivíduos com doença cardíaca que seguiram o programa Ornish e os compararam a um grupo de 63 pessoas que não seguiram nenhum programa específico. Enquanto o grupo de controle não experimentou melhora na saúde, o grupo Ornish perdeu peso e a pressão arterial caiu cerca de 10%.

Em 12 semanas, os pesquisadores descobriram que 26 genes no grupo Ornish apresentavam peculiaridades. Depois de um ano, esse número subiu para 143. As atividades dos genes que promovem a inflamação e lesão dos vasos sanguíneos foram significativamente reduzidas. O grupo de controle não apresentou melhorias desde que mantiveram sua dieta padrão.

watermelon-summer-little-girl-eating-watermelon-foodQuando Hipócrates escreveu há 2.400 anos “deixe o alimento ser sua medicina”, ele não tinha ideia de que a ciência um dia provaria que ele foi um visionário. A comida não é mais apenas uma fonte de calorias que contém proteínas, carboidratos e gordura. Comida é informação e pode ser vista como um controle remoto para nossos genes, transformando-os por dentro e por fora através de uma variedade de modificações.

O garfo é o mais poderoso instrumento cirúrgico que existe. Carregue-o com uma dieta colorida, orgânica e baseada em vegetais, e desfrute de mais tempo para suas paixões e sonhos, livre de doenças e medicamentos. Aquele jeans colado está a apenas um garfo de distância, você está no controle.

food-salad-dinner-eating

Edmar Borges

Jornalista latino-americano sem dinheiro no banco nem parentes importantes, ilustrador vindo do interior de Minas Gerais. Acredita que um dia a tecnologia e a espiritualidade vão ter uma linda prole. Você também me encontra em omxxnamashivaya.tumblr.com

Comentar

Assine nossa news!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.