Revista Mandala

Mudança climática pode ser a responsável por deslocamento dos polos da Terra

Uma mudança dramática ocorreu por volta do ano 2000, quando o Pólo Norte se voltou na direção leste.

Compartilhar

Este artigo foi originalmente publicado em inglês no Huffington Post e traduzido pela Revista Mandala.

A posição do eixo da Terra mudou drasticamente, provavelmente por causa do derretimento de camadas de gelo (decorrente das alterações climáticas) e de mudanças naturais no armazenamento de água no solo, de acordo com um novo estudo publicado na revista Science Advances.

Erik Ivins, pesquisador sênior no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA e co-autor do estudo publicado na sexta-feira, disse ao The Huffington Post que o movimento da água na superfície da Terra afeta a distribuição da massa do planeta – e do seu eixo – como acontece ao se adicionar peso peso sobre um pião.

“Se você considerar um pião e depois colocar um pedaço de goma de mascar no topo, ele começaria a girar em torno de um novo eixo”, disse Ivins por e-mail. “Na Terra, já que a água pode ser transportada dos oceanos para a superfície – afetando os níveis médios do mar ao redor do globo -, pode também alterar os momentos de inércia, em analogia exata ao pedaço de goma de mascar em uma parte superior do pião.”

O deslocamento do eixo pode tornar ainda mais graves os efeitos das mudanças climáticas no nosso planeta estressado: as temperaturas globais estão ficando mais altas. Os eventos climáticos estão se tornando mais extremos. Os níveis do mar estão subindo.

A Terra nem sempre gira em um eixo que atravessa seus pólos. Na verdade, ele oscila de forma irregular ao longo do tempo (em direção à América do Norte durante a maior parte do século 20 - seta verde). Essa direção mudou drasticamente devido a mudanças na massa de água na Terra. (Foto: NASA/Reprodução).
A Terra nem sempre gira em um eixo que atravessa seus pólos. Na verdade, ele oscila de forma irregular ao longo do tempo (em direção à América do Norte durante a maior parte do século 20 – seta verde). Essa direção mudou drasticamente devido a mudanças na massa de água na Terra. (Foto: NASA/Reprodução).

A Terra, como muitos de nós se lembram da escola, gira em torno de um eixo. Esse eixo é uma linha imaginária que se estende através do centro do planeta do Pólo Norte ao Pólo Sul, e está inclinado em um ângulo de cerca de 23,5 graus em relação ao plano orbital que inclui o Sol e a Terra.

Os cientistas sabem há muito tempo que a Terra tende a oscilar de posição à medida que gira, fazendo com que a direção de seus pólos também sejam ligeiramente alterados. No entanto, uma mudança dramática ocorreu por volta do ano 2000, quando o Pólo Norte se voltou na direção leste.

Na tentativa de entender a causa desse fenômeno, Ivins e seu colega Surendra Adhikari analisaram o espaço de dados geodésicas e gravimétricos de satélite de 2003 a 2015. Estes dados permitiram aos pesquisadores identificar sem margem de erros o mecanismo causal para o direcionamento dos pólos da Terra após 2003.

Os pesquisadores escreveram em seu estudo que o eixo de rotação da Terra tem se deslocado 75 graus para o leste a partir da sua direção de desvio normal de longo prazo desde o início dos anos 2000.

“Neste trabalho falamos de mudança na ‘direção do desvio”, disse Adhikari ao HuffPost em um e-mail. “O pólo se movia numa linha que acompanhava a longitude de 75 graus oeste na direção do Canadá ao longo do século 20. Agora, ele está se dirigindo pelo meridiano central, ou seja, de 0 graus de longitude, em direção ao Reino Unido. Dessa forma, essa mudança na direção seria de aproximadamente 75 graus para o leste, do Canadá ao Reino Unido.”

Essa mudança, segundo os pesquisadores, está a ser ocorrendo não apenas devido ao derretimento das calotas polares, mas também graças a uma perda de massa de água na Eurásia, devido ao esgotamento de aquíferos e seca, como comunicado pela NASA.

“Esta é a primeira vez que temos provas sólidas de que as mudanças na distribuição de água na Terra, em escala global, também alteram a direção para a qual o eixo se move”, Adhikari, principal autor do estudo, disse à New Scientist.

Jonathan Overpeck, professor de geociências na Universidade do Arizona, que não esteve envolvido no estudo, disse ao The Guardian que “isto evidencia o quão real e profundamente grande é o impacto que os seres humanos estão tendo sobre o planeta.”

Embora os resultados sejam surpreendentes, Ivins acredita que não há necessidade de alarme. A mudança, segundo ele, é relativamente pequena, e não há nenhuma chance real de a quantidade de radiação solar que atinge partes sensíveis da Terra aumentar.

“O que essa mudança indica aos cientistas”, Ivins disse, “é que nós temos uma nova ferramenta para sondar as mudanças climáticas do passado de uma forma muito quantitativa e precisa. Para nós, isso é significativo.”

__

Quer saber mais sobre o impacto da ação humana no meio ambiente? A Revista Mandala apresenta dados e cenários sobre a preocupante degradação do cerrado brasileiro aqui.

Edmar Borges

Jornalista latino-americano sem dinheiro no banco nem parentes importantes, ilustrador vindo do interior de Minas Gerais. Acredita que um dia a tecnologia e a espiritualidade vão ter uma linda prole. Você também me encontra em omxxnamashivaya.tumblr.com

Comentar

Assine nossa news!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.