Revista Mandala

Os 3 maiores mitos sobre Yoga que precisam ser esclarecidos

Você acha que é preciso ser flexível para praticar yoga? É hora de desmistificar o que está te impedindo de conhecer verdadeiramente a prática.

Compartilhar

yogaEste artigo é uma tradução. Ele foi escrito por Melissa Eckman e publicado originalmente no site Mind Body Green. Para acessar o conteúdo em inglês, clique aqui.

Como uma amante ávida da yoga e uma professora da prática, eu fico realmente intrigada quando as pessoas dizem que não gostam de yoga ou que não querem tentar praticá-la. Claro que todo mundo tem direito à sua própria opinião, mas, geralmente, as pessoas se sentem assim por causa do que ouviram ou porque tiveram alguma experiência ruim com o tema.

Yoga mudou minha vida de muitas maneiras, todas muito positivas, e antes de eu começar a praticar também estava intimidado e tinha receio sobre experimentar uma aula. Eu achava que yoga não era para mim. Agora que faz três anos que pratico, quero derrubar três dos maiores mitos sobre yoga, na esperança de que isso ajudará as pessoas a entenderem melhor o que de fato é a prática e se abrirem para a experiência.

Mito 1: Ser flexível é pré-requisito para praticar yoga

Muitas pessoas me disseram que não querem praticar yoga ou que não gostam de yoga porque não são flexíveis. Repousar com firmeza enquanto se dobra em um pretzel não é o objetivo da yoga. Eu tento explicar todas as vezes que o aspecto físico da yoga (asana) é apenas uma pequena parte dos oito aspectos da prática por completo.

pexels-photo (2)Permitindo que áreas do seu corpo sejam mais flexíveis, a força e a vitalidade virão com o tempo, mas não são uma exigência para praticar yoga ou para desfrutar da prática!

Mito 2: Existe apenas um tipo de aula de yoga

Existem muitos tipos diferentes de yoga, e yoga não é uma abordagem única. Eu já tive clientes, amigos e familiares, que me disseram que não gostavam de yoga e que simplesmente não “se encaixavam” nos métodos. Minha resposta, toda vez, é a mesma: você provavelmente não está praticando a yoga certa para você! O equívoco comum é que o termo “aula de yoga” engloba tudo o que a yoga tem a oferecer.

Só para começar, eu consigo pensar em 14 tipos diferentes de yoga que vão do estilo desafiador (se você quiser adquiri vitalidade e suar para isso) até o estilo restaurador. A melhor maneira de descobrir que tipo de yoga você gosta é pesquisar um pouco e buscar diferentes tipos de aula. Não se inscreva em nenhuma prática de yoga se você teve uma aula experimental e não gostou de jeito nenhum.

Mito 3: Você pode ser “bom em yoga”

Não existe isso, não há como ser “bom em yoga”. É muito importante quebrar este mito de uma vez por todas porque as pessoas estão ficando intimidadas pela ideia de praticar yoga simplesmente porque se sentem desencorajadas pelas capas de revista que trazem praticantes em diversas poses. Embora as posturas de yoga sejam mesmo incríveis, o ponto central da prática é como você se sente naquela pose e como ela funciona para o seu corpo.

pexels-photo (3)Vamos imaginar que alguém, no tapete ao seu lado, está fazendo algo com o corpo que você acha muito incrível e difícil. Isso não torna essa pessoa melhor ou pior em yoga do que você. A prática é exclusiva para cada pessoa, é diferente para cada um. Uma vez que isso fica claro, as pessoas começam a gostar mesmo de yoga e a compreender que quando você está no seu tapete, este será um momento para deixar inseguranças, estresses, preocupação e todo o resto do lado de fora. Estar presente e em contato com seu próprio corpo é um dos aspectos mais importantes do yoga. Não se preocupe com mais ninguém.

Edmar Borges

Um latino-americano sem dinheiro no banco nem parentes importantes, graduando em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto e vindo do interior de Minas Gerais. Você também me encontra no Obvious Lounge e no Medium Brasil.

Comentar

Cadastre-se

Assine nossa news!



Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.