Revista Mandala

Osho: sobre o poder de observar sua respiração

Compartilhar

O mestre indiano Rajneesh, também conhecido como Osho, foi um dos grandes responsáveis por uma espécie de popularização da prática meditativa no mundo. Seus conselhos e suas perspectivas alcançaram muitas pessoas no Ocidente e, por meio de métodos pessoais de descoberta do autoconhecimento, ele trouxe à luz novas formas e novos pontos de vista sobre a jornada espiritual.

No texto que segue abaixo, ele conta um segredo. Muitos não imaginam, mas a respiração pode influenciar em todos os campos e aspectos da vida diária. Segue, portanto, o olhar de Osho sobre esse desconhecido trunfo:

Se você puder se tornar um mestre da sua respiração, você se torna mestre de suas emoções. O inconsciente prossegue mudando seu ritmo de respirar, portanto, se você se torna cônscio desse ritmo e suas constantes mudanças, você pode ficar cônscio das suas raízes inconscientes, do que o inconsciente está fazendo.

a) Respire profundamente o dia todo, não forçado, mas devagar e bem fundo, toda vez que você lembrar e sinta-se relaxado, não tenso.

b) Vigie sua respiração, observe-a. Quando a respiração sai, vá com ela, quando ela entrar, mova-se com ela. Se você puder observar sua respiração, ela se tornará profunda, silenciosa, rítmica. Seguindo a respiração você se torna muito diferente, porque essa conscientização constante da respiração irá lhe desprender de sua mente. A energia que normalmente se move para o pensar, se moverá para a observação. Essa é a alquimia da meditação — mudar a energia que se move do pensar para a observação. Como não ser um pensador, mas uma testemunha. Mas seja descontraído ao observar sua respiração, não faça disso um trabalho.

c) Use sua respiração como uma conscientização da vida e da morte simultaneamente. Quando a respiração sai ela está associada com a morte; quando ela entra, com a vida. Com cada expiração você morre; com cada inspiração você renasce. Vida e morte não são duas coisas, separadas, divididas: elas são uma. E a cada momento, ambas estão presentes. Portanto lembre-se disso: quando sua respiração está saindo, sinta como se você estivesse morrendo. Não se assuste. Se você se assustar, a respiração será perturbada. Aceite isso: a expiração é morte. E a morte é bela, é relaxante.

Edmar Borges

Jornalista latino-americano sem dinheiro no banco nem parentes importantes, ilustrador vindo do interior de Minas Gerais. Acredita que um dia a tecnologia e a espiritualidade vão ter uma linda prole. Você também me encontra em omxxnamashivaya.tumblr.com

Comentar

Assine nossa news!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.