Revista Mandala
Fotografia: Brian Oldham (reprodução)

Primeiro você cai no buraco algumas vezes, depois aprende a desviar

Uma observação de Sogyal Rinpoche sobre os ciclos viciosos e o aprendizado em “O Livro Tibetano do Viver e do Morrer”, de 1992.

Compartilhar

1.
Ando pela rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Eu caio…
Estou perdido… Sem esperança.
Não é culpa minha.
Leva uma eternidade para encontrar a saída.

2.
Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Mas finjo não vê-lo.
Caio nele de novo.
Não posso acreditar que estou no mesmo lugar.
Mas não é culpa minha.
Ainda assim leva um tempão para sair.

3.
Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Vejo que ele ali está.
Ainda assim caio… É um hábito.
Meus olhos se abrem.
Sei onde estou.
É minha culpa.
Saio imediatamente.

4.
Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Dou a volta.

5.
Ando por outra rua.

Este é um trecho de O Livro Tibetano do Viver e do Morrer, de Sogyal Rinpoche. No budismo tibetano, o nome Rinpoche é conferido a lamas cujo conhecimento e prática espiritual são considerados elevados.

Em sua obra, Sogyal Rinpoche faz uma série de observações sobre o comportamento humano em massa, inclusive quando gera falsas ilusões. Um exemplo é quando nos atribulamos de atividades e envolvimentos, incentivados pela ideia de produtividade: na verdade, segundo Rinpoche, essa não passa de uma fuga do assunto principal, do objetivo real da vida, sendo assim uma forma camuflada de preguiça.

Além disso, como no trecho acima, Rinpoche apresenta um olhar sobre o hábito, o ciclo vicioso, a repetição do sofrimento. Por que é preciso se queimar várias vezes para aprender a não colocar a mão na chama do fogo? Ao mesmo tempo em que um comportamento prejudicial repetitivo chama a atenção para a ignorância, porém, também possibilita a dádiva do aprendizado, comum na experiência humana e construtor de muitas pontes sobre vales profundos.

A imagem em destaque é do fotógrafo © Brian Oldham.

Edmar Borges

Jornalista latino-americano sem dinheiro no banco nem parentes importantes, ilustrador vindo do interior de Minas Gerais. Acredita que um dia a tecnologia e a espiritualidade vão ter uma linda prole. Você também me encontra em omxxnamashivaya.tumblr.com

Comentar

Assine nossa news!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.