Revista Mandala

Sofrendo para deixar a carne? Aqui estão 5 formas de superar a tentação

A psicologia do autocontrole pode ser uma grande aliada para abandonar hábitos tão bem inseridos no comportamento humano.

Compartilhar

Este artigo é uma tradução. Ele foi escrito por Jared Piazza e publicado originalmente no site The Conversation. Para acessá-lo em inglês, clique aqui.

Você é um carnívoro cheio de conflitos – ama carne, mas também odeia que a ame? Talvez você esteja preocupado com as tendências cancerígenas, com as propriedade da carne cozida que entopem as artérias do coração ou com o uso de antibióticos pela indústria, gerando sérias ameaças à saúde. Talvez você tenha vergonha de todo o desperdício de água e de comida na produção de carne, e também do desmatamento e das emissões prejudiciais causadas pela agricultura animal. Muitos de nós também estão simplesmente se esforçando para aceitar as justificativas usadas por quem assassina de animais inteligentes e emocionalmente sensíveis.

Mas, apesar de todos os grandes motivos para optar por alternativas vegetarianas, você pode achar que quando você se senta lá em um restaurante com um cardápio na mão, é simplesmente impossível resistir ao aroma dos hambúrgueres grelhados ou do bacon na frigideira. Você não está sozinho – as descobertas iniciais apresentadas recentemente em uma conferência sugerem que mais de 30% dos consumidores de carne nos EUA, na Alemanha e na França estão em conflito com a alimentação à base de animais.

Aqui estão cinco maneiras que podem te ajudar por meio do seu controle psicológico:

Esteja preparado

A maior parte da nossa alimentação é inconsciente, o que significa que é regida por hábitos, rituais (“comer peru no Natal”) e o que mais existe nesse sentido. Comer de forma irrefletida pode impedir que percebamos que, na verdade, o que está acontecendo é só uma tentação. Se você está ansiando por uma refeição gordurosa e carregada de carboidratos quando está de ressaca, pode pedir um hambúrguer porque é o que você sempre fez. Mas um falafel ou uma pizza vegetariana também pode fazer o mesmo truque. No entanto, nosso poder de superar a tentação depende de nós, primeiro identificando que há um conflito para o qual precisamos olhar.

Uma maneira de não comer de forma impensada é se preparar para uma tentação que você sabe que está a caminho. Se quisermos abandonar a carne e sabemos que estamos prestes a enfrentar uma situação em que esse objetivo será desafiado (por exemplo, comer fora com um amigo), temos um tempo maior para nos comprometermos com antecedência. Uma maneira de fazer isso seria olhar o menu do restaurante na internet antes de chegar e decidir o que comer.

Tente comer com atenção

O oposto de comer de forma inconsciente pode ser chamado de comer conscientemente, ou aplicar a atenção plena à ingestão dos alimentos. Isso significa prestar mais atenção aos pensamentos e desejos relacionados aos alimentos à medida em que eles surgem. Em um estudo, 19 indivíduos com sobrepeso participaram de 10 reuniões semanais sobre alimentação saudável, seguidos por um curso de sete semanas de mindfulness com foco no impulso de comer ou por nenhum treinamento de atenção plena.

O treinamento de atenção especial envolveu prestar atenção a várias partes do corpo para obter sensações espontâneas e observar pensamentos e impulsos relacionados aos alimentos – percebendo-os, mas não agindo. Enquanto ambos os grupos perderam peso, o grupo de atenção plena também mostrou uma menor preocupação com os alimentos. Não há motivo para que isso não se aplique também à ingestão de carne.

Amplie sua perspectiva

Outro truque da psicologia do autocontrole é adotar um quadro mental mais amplo. É aí que você enxerga em uma decisão como parte de um conjunto maior de eventos, não somente um evento isolado (comer carne nesta refeição). Por exemplo, você pode pensar sobre todas as refeições que você vai comer ainda ou todas as vidas animais que você irá salvar a partir de agora. Ao deixar de se alimentar de peixes e frutos do mar, o estadunidense salva cerca de 30 vidas por ano.

Os quadros mentais nos ajudam a reverter nossas escolhas momentâneas por objetivos maiores que temos para nós mesmos, como ajudar o planeta ou ajudar os animais. Dando uma nova imagem positiva à sua decisão – “salvar vidas” ao invés de “desistir de carne” – também pode ajudá-lo a evitar o raciocínio de que está perdendo algo.

Visualize os animais

As pessoas que escolhem evitar a carne tendem a ter uma compreensão mais precisa das capacidades cognitivas e emocionais dos animais de criação – por exemplo: elas entendem que os porcos, como humanos e cães, têm sofisticadas vidas emocionais. Elas também são mais rápidos em associar a carne no prato com a fonte viva de animais. Quando olham para a carne, elas olham para um animal.

Sabemos que estudos recentes indicam que associar a carne a animais ou ao seu sofrimento pode prejudicar o apetite. Por exemplo, muitas pessoas acham porco assado saboroso, mas muito menos saboroso quando a carne de porco vem com a cabeça de porco no prato. Conhecer a vida emocional dos animais de criação e desenvolver o hábito de associar carne com sofrimento animal pode ser um item potente no kit de ferramentas do redutor de carne.

Relacione-se com amigos simpatizantes

Muitas pessoas que desistiram de ser vegetarianas dizem que lutaram para encontrar uma rede de apoio com os mesmos objetivos. As mulheres, em particular, parecem ser vulneráveis ​​aos desafios da coordenação de suas dietas quando na companhia de outras pessoas (muitas vezes estão inclinadas a agradar a outra pessoa nesse caso).

Mas é provável que alguns de seus amigos tenham mais ou menos o mesmo desconforto que voicê sobre a alimentação à base de carne. Então não caia na armadilha de assumir que você está sozinho. E, ao jantar com amigos menos simpatizantes, você pode explorar restaurantes que integram opções vegetarianas em seus menus (em oposição a ter uma seção separada “vegetariana/vegana”). Isso evitará quebrar o grupo em facções de quem come carne e quem não come. Além disso, algumas pesquisas sugerem que isso pode aumentar as chances de todos pedirem uma refeição sem carne.

Então, se você está lutando para se tornar um vegetariano ou simplesmente quer cortar a carne, por que não tenta fazer algumas dessas estratégias? Os piores desejos podem desaparecer quando você perceber que, sim, é possível controlá-los.

Edmar Borges

Jornalista latino-americano sem dinheiro no banco nem parentes importantes, ilustrador vindo do interior de Minas Gerais. Acredita que um dia a tecnologia e a espiritualidade vão ter uma linda prole. Você também me encontra em omxxnamashivaya.tumblr.com

Comentar

Assine nossa news!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.